Menu



Truta-de-Rio, Truta Fário, Truta Marisca

Nome Vulgar:
Truta Comum, fário
Nome Científico:
Salmo Trutta
Família:
Salmonidae
Ordem:
Salmoniformes
Meio Ambiente:
Estuarino; Anadromous
Profundidade:
0 - 28m
Clima:
Temperado
Temperatura:
5 a 15°C
Longevidade:
15 Anos
Comprimento:
140cm Máx.
Reprodução:
Primavera a Outono(Rio Lima)
Novembro a Janeiro(Espanha)
Alimentação:
Carnívoro Predador.
Nativa Pen.Ibérica:
Sim
Pesca Lúdica e Desportiva
Pesca Proibida,
Devolução Obrigatória
Livro Vermelho Portugal:
Criticamente em Perigol
Livro Rojo España:
En peligro crítico

Truta Rio, truta fário, truta marisca
Truta Marisca, Truta Fário
Salmo trutta
Salmo trutta
Livro vermelho
peixes
Não avaliado
Dados insuficientes
Pouco preocupante
Quase ameaçado
Vulnerável
Em perigo
Em perigo critico
Extinto na natureza
Extinto

Origem

Europa e Ásia: bacias do Atlântico, Mar do Norte e Mar Báltico, da Espanha até a Baía de Chosha (Rússia). Encontrado na Islândia e nos rios mais setentrionais da Grã-Bretanha e Escandinávia. Na drenagem Rhône, nativa apenas da bacia do Lago Genebra, a qual entrou após a última glaciação. Nativo das drenagens do Danúbio e do Volga. Introduzida amplamente. Vários países relatam impacto ecológico adverso após a sua introdução.

Distribuição Geográfica

Apenas o Rio Lima e Minho apresentam alguns exemplares migradores.

Habitat

Após eclodirem os juvenis de truta-marisca permanecem um a dois anos em água doce. Findo este período sofrem um processo de "smoltificação" e migram para o mar, onde passam o período de crescimento e maturação. Quando atingem a maturação sexual regressam aos locais de nascimento para se reproduzirem, comportamento que se designa por "homing". Os locais preferenciais de reprodução situam-se em pequenos afluentes de características tipicamente salmonícolas: zonas de baixa profundidade com velocidades de corrente moderada e bem oxigenadas, ausência de poluição orgânica ou inorgânica, substratos de gravilha ou cascalho.

Alimentação

É uma espécie com uma dieta generalista, ingere as presas que descem o rio e, no mar, alimenta-se de crustáceos, poliquetas e outros peixes. No rio, as trutas alimentam-se de invertebrados bentônicos, insetos alados e indivíduos maiores podem capturar outros peixes (ciprinídeos ou outras trutas) e anfíbios.